Arquivo do mês: dezembro 2013

Mensagem de fim de ano

Só esse pequeno trecho do Rocky Balboa resume o que eu quero e desejo a todos nesse ano que vem:

Anúncios

Fora de Convergência

A política ultimamente estava bem consolidada. Alianças entre partidos, políticos satisfeitos em seus partidos.

Mas nos últimos meses, não sei se por causa das manifestações, estou vendo alianças históricas se desmoronarem.

Lula indica ministros à Dilma e ela não acata suas indicações. Fernando Haddad está insatisfeito com seus colegas petistas do governo federal. No Rio de Janeiro o PMDB parece estar se afastando do PT. Acredito que a liga que mantinha o PT não era Lula e sim José Dirceu, esse sim homem astuto, cheio de cartas na manga que agora encontra-se impedido de atuar tão livremente por causa de sua prisão.

Estamos em tempos incertos sobre o que vai acontecer. 2014 promete algo diferente. Acredito que pela primeira vez veremos um racha grande no PT.

Sinto que nossa presidente tem boas intenções, mas não acredito em sua capacidade para gerir o país. Ela não vai largar o osso, mas é bom que vejamos que rumo isso vai tomar, pois somente com Lula ela não consegue apoio político. 

Lula em seu governo se mostrou um grande político, concedia cargos por voto como quem vende água. E isso foi danoso ao país, inchou a máquina pública e mostrou que apesar de bom na política é péssimo na gestão que inclusive não era encabeçada por ele, pois ele não passou de fantoche de Dirceu.

Por isso ainda acredito um pouco em Dilma ao tentar se afastar mais dessa turma. Mesmo que isso possa ser sua morte política. Se ela se mostrar sincera, mesmo que faça merda, pelo menos pode sair com a cabeça erguida de que entrou com as merdas e saiu com os bons. 


A Queda Dos Ideais

O mundo é mundo desde sempre. E sempre tem pessoas tentando criar seus mundos através de ideologias. O comunismo, o livre mercado, o anarquismo, e tantos outros são modos de mundo que alguém ou alguns criaram através do que viam em suas épocas e mesmo que saibamos que alguns são utópicos, ou seja, são somente fruto de ideias que nunca se concretizarão,  ainda vemos pessoas defendendo ferranhamente alguns ideais que sabemos, porque a história nos mostra, que nunca poderão ser concretizados, por mais lindos que sejam.

O comunismo por exemplo: basicamente, bem a grosso modo diz que: chegará um ponto em que os operários, que são a força motriz da sociedade, se rebelarão contra seus algozes e tomarão as rédeas do poder para depois implantar um sistema em que todo trabalho valha a mesma coisa e todos vivam em completa harmonia como iguais. Beleza, muito bonito. Mas essa ideologia esbarra em um aspecto, não somos máquinas, somos humanos. É a humanidade chegou aonde chegou porque sempre tivemos os mais destacados, os melhores, os que contribuíram e ainda contribuem mais que outros. Mas aí você me diz: “todo mundo é responsável, se um pedreiro fizer merda na construção o prédio cai e mata várias pessoas, ele tem tanta responsabilidade quanto um médico que salva vidas.” Será? Quem estudou mais de 8 anos e continua estudando, quem dá plantão de madrugada se privando de sono e tempo com sua família? Ele merece ganhar mais porque salva vidas ou porque ele se dá mais, se dedica mais? Já o pedreiro estudou pouco, aprendeu o que faz ali mesmo com outros companheiros, trabalha de segunda a sábado em horário comercial, e vai viver o resto da vida fazendo a mesma coisa, afinal, desde que mundo é mundo e casa é casa ela é construída de tijolo em cima de tijolo e isso até meu filho de 4 anos faz. Já a medicina se o cara num tiver atualizado, ele será um profissional ruim (quanto pediatra bosta eu já num peguei).

Então não venham me dizer que os dois devem ganhar o mesmo. Isso é basbaquice.

Também não quer dizer que os que cumprem tarefas que exijam menos devam viver tão abaixo dos que mais contribuem. Acredito que possamos um dia viver em bairros mistos, em que o pedreiro com sua casa simples, mas sem faltar nada, seja vizinho do médico que vive melhor e que seus filhos possam frequentar a mesma escola de qualidade e que se for desejo de cada uma dessas crianças os papéis sejam invertidos, ou que ambos sejam médicos ou pedreiros, desde que saibam o que o futuro lhes reserva.


Manifesto do Nada na Terra do Nunca – Lobão

Estou terminando de ler o último livro do Lobão. É meio inconsequente escrever sobre algo que eu não terminei de ler, mas é que o ultimo capítulo é chatinho.


%d blogueiros gostam disto: